2018 chega e, com ele, novas tendências no design, correto? Nem tanto. Há muito tempo estamos vendo o famoso “mais é menos”, onde grandes marcas estão cada vez mais aderindo logos simples e sites clean. O que esperar dessa não-tão-nova tendência nesse novo ano?

Como grande parte das pessoas já sabe, o flat design foi uma das tendências que mais se fizeram presentes nos últimos anos. Ícones de celular, logos, sites, peças gráficas, tudo com mínimos detalhes. O que se questionava é, será algo (quase) permanente? Há quem ame e quem odeie, mas a verdade é que, além de ser um marco atual, o flat design nos trouxe mais tendências seguindo o seu modelo.

Um dos exemplos de 2017 que dividiu a internet em dois polos foi justamente o novo logo do Instagram. O modelo antigo contava com cores e formas sólidas, com escrita do seu nome e um estilo mais realista. O Instagram resolveu radicalizar e nos trouxe um logo flat, composto de um degradê saindo de tons frios em sua parte superior e seguindo para tons quentes até o final de sua parte inferior. Foi um ato de muita coragem e ousadia, afinal, poucas marcas se dispõem à mudanças tão radicais quanto.

A esquerda, o logo antigo do Instagram, com sua solidez se destacando; A direita, o novo logo, totalmente flat e inovador

O que muito se falou foi da aplicação do novo logo que o Instagram lançou. O fato é que realmente suas aplicações ficam extremamente mais facilitadas agora, visto que o Instagram ainda pode se utilizar da borda branca interior para aplicar o logo quando estiver em fundos coloridos.

A têndencia do gradiente

Não foi apenas com o Instagram, mas sim com a internet. O gradiente voltou a tomar forma e, consequentemente, em conjunto com peças minimalistas. Afinal de contas, é muito mais difícil (para não dizer impossível) combinar o gradiente com algo muito complexo e cheio de detalhes.

Muita gente ainda não consegue “engolir” o gradiente. Contudo, o gradiente que vemos hoje em dia é bem diferente do gradiente existente anos atrás. Antes, não existia o degradê em si, e sim uma mudança grotesca e bruta de cores que não harmoniavam.

O degradê não harmoniza e acaba trazendo um peso maior para o logo

Nos casos de hoje, as empresas certamente tem um cuidado maior e pensaram bem antes de usar o degradê. O gradiente é suave, as cores são em mais tons pastéis, não há todo esse “brilho” como nesse logo da Fiat, por exemplo. Provavelmente, muitos dos que não são fãs do gradiente o reconhecem por esses modelos antigos.

Mais um design do Spotify com a utilização do gradiente

No caso do Spotify, a empresa já vem fazendo uso do gradiente há um bom tempo. Agora em 2018 eles continuaram com a tendência, com tons pastéis e formas simples. A transição de cores é sempre suave e não agressiva como costumava ser antigamente.

Menos é mais

O minimalismo pegou até mesmo áreas que não esperávamos tão cedo. Conhecidos por seus gostos pelo clássico e pela tradição, os clubes de futebol raramente mudam drásticamente seus escudos, cores ou algo que remeta ao tradicional. Recentemente, em 2017, o clube Juventus da Itália resolveu quebrar essa regra

A Velha Senhora, como é conhecida por seus torcedores e pelos fãs de futebol, é um clube de 1897 de bastante tradição. Em todos esses anos, mudou seu escudo 9 vezes antes de chegar ao modelo atual.

A esquerda, vemos o antigo logo da Juventus, logo a direita, o logo de 2017

A mudança drástica causou muito alvoroço entre os torcedores. Foi o famoso “ou ama ou odeia”, que revoltou muitos dos que prezam pelo tradicionalismo do clube. Logo, pode vir a se tornar uma tendência, onde mais clubes começaram a repensar seus escudos futuramente.

Conclusão

O design foi feito para sempre melhorar e trazer mais facilidades para todas as áreas. O intuito é sempre estar inovando de uma maneira que consiga agradar a maioria. Geralmente, começa-se com marcas grandes que trazem a tendência para as menores e para o resto do mercado.

Com esses fatos em mente, é possível que o design minimalista seja um dos que conseguem dividir com mais facilidade a opinião das pessoas? Comente o que você acha desse tipo de design e se essa é uma tendência feita para continuar.


Deixe uma resposta